sábado, 15 de junho de 2013

Resumo do filme Preciosa – Uma história de esperança

  • Dirigido por :Lee Daniels (I)
    Com :Gabourey Sidibe. Mo'NiquePaula Patton mais
  • Gênero: Drama
RESUMO DO FILME 

Preciosa – Uma história de esperança


Este filme vem retratar a historia de uma jovem chamada Claireece Preciosa Jones. Ela mora em um bairro pobre de Nova Iorque. Preciosa adolescente, negra, obesa, pobre e analfabeta. Sofre preconceito e violência na escola, no bairro onde mora e na sua família que e violentada sexualmente pelo pai, na qual a mãe a explora e a violenta fisicamente e psicologicamente, além de encobertar o abuso sexual cometido por eu marido e culpa a filha pelo ocorrido.
Em vários momentos do filme Preciosa expressa o desejo de ser aceita, e ter atenção que não tem. Ela se imagina famosa como uma atriz de cinema, cantora, uma modelo de ensaio fotográfico. Em outra cena depois do banho Preciosa vai se arrumar na frente do espelho ela ver seu reflexo e se imagina loira dentro do padrão estético do corpo feminino. Essas situações ocorriam sempre quando preciosa sofria alguma violência. Em outras situações ela se imagina bem vestida, maquiada e feliz no corpo que tem. Isso demonstrava que preciosa queria ser aceita do jeito que era sem ter que se engrada no patrão estético imposto pela sociedade. Em outra cenas sua mãe a obriga comer sem mesmo estar com fome. Portanto os hábitos alimentares de Preciosa tem influência de sua mãe, uma vez que a mãe  tem mesmo hábitos de alimentação e falta de exercício físicos, no entanto preciosa e mais gorda que a mãe, que se aproveita disto para agredir e culpar Preciosa.
Em outra cena, preciosa espera  em uma sala a assistente social para conversar, na qual relata que  aconteceu em sala de aula, a professora da escola alternativa de pediu para ela  escrever. Preciosa escreve como queria ser, bem magra, com a pele clara e cabelo comprido, mais sua professora lhe diz que ele tinha que ser ela mesma, pois era bonita do jeito que era, pois a diferente forma de beleza, aumentando assim sua alta estima.
Em muitas situações preciosa era vulnerável  por causa de sua segunda gravidez ela foi transferida de escola. Essa situação nos mostra que a escola não soube lidar adequadamente com a questão da gravidez e, muito menos, identificar a situação de abuso sexual. Pois a escola não oferecia programas de educação sexual ou educação em saúde para abordar temas como gravidez na adolescência ou violência sexual. Em outra cena observamos a situação de violência física da mãe contra Preciosa, e é possível visualizar a violência sexual efetuada por seu pai. Nesta cena pode ver, de fato a violência sexual sofrida por Preciosa, da violência sexual e da exploração, violência física e psicológica efetuada por sua mãe.
Em outra cena, a diretora vai até a casa de preciosa, mais não e recebida pela mãe. Através de o interfone ela dar o endereço da escola alternativa para Preciosa estudar. Mais sua mãe  diz que escola não ajuda ninguém, que era para ela se contentar com o dinheiro que recebe da assistência social. As duas discutem após a discussão a mãe atira objetos e corre atrás da filha para surrá-la. Nesta situação, há uma demonstração da violência psicológica que a mãe exercia sobre ela. Por ser de família pobre e Preciosa ter uma filha com síndrome de down – chamada Mongo. No entanto elas recebiam dinheiro do governo. Para receber a ajuda da assistência social, Preciosa tinha de frequentar a escola. No entanto, sua mãe não valorizava o saber e o conhecimento escolar, exercendo uma forma de controle e dominação.
Porém, o mais impactante desta passagem é o tratamento e a forma  com que a mãe se referia a Preciosa, dizendo que ela não sabia de nada, que ninguém precisava dela, ninguém queria ela e que deveria tê-la abortado. Por tanto isso demonstra valores negativos que abalavam o respeito de sua filha.
Em outra situação Preciosa sofre preconceito,quando estava voltando para casa,  andando pelas ruas do bairro, e um grupo de meninos agride-a verbalmente de “orca”, de “feia”, e um deles a empurra ao chão. Quando preciosa passava, por essas situações ela sempre se imaginava em um outro lugar. Uma vez que na escola ela sempre sofria com essas egressões e xingamentos sempre reagia com violência. Em uma das conversas que teve com a assistente social, ela relatou que seu primeiro filho nasceu na cozinha e que ela era agredida pela mãe com chutes na cabeça. Em uma situação de vulnerabilidade institucional que estava enfrentando, pois Preciosa não tinha acesso ao serviço de saúde. Seu segundo filho nasceu no hospital, e quando volta pra sua casa e agredida pela sua mãe que joga seu bebê no sofá e atira objetos em Preciosa. Pois sua mãe acusa por estragar sua vida. A mãe teria dificuldade de reconhecer o incesto, pois seria o reconhecimento de seu fracasso como mãe e esposa.
A situação de vulnerabilidade a que Preciosa estava submetida começa a mudar depois que ela passa a estudar na escola alternativa. Lá, a turma, em sua maioria, era composta de alunas negras ou latinas, que tinham dificuldades de aprendizagem. A professora Rain era boa, seu método de ensino era dialógico, uma vez que trabalhava a leitura e a escrita através de diários, nos quais as alunas escreviam sobre sua vida, seus sonhos e projetos, suas dificuldades etc. Numa das cenas do filme, as alunas estão lendo suas redações. Podemos perceber a felicidade de Preciosa por estar progredindo na escola. No entanto fica evidente a discordância dela em relação ao ponto de vista de sua mãe, que não acreditava na escola e que a considerava incapaz de aprender.
Depois de ter sido agredido pela sua mãe Preciosa vai mora na casa da professara, ela descobre que sua professora e lésbica. Preciosa desconstrói o preconceito em relação aos gays, imposto  pela sua mãe, e reconhece todo o apoio que a professora Rain estava dando a ela. Outro aspecto que merece destaque são as relações de amizade. Preciosa não tinha muitos amigos quando estudava na escola convencional, mas, na escola alternativa, ela estabeleceu laços de amizade.
  Por fim por tudo que preciosa dera passado no contexto familiar e social violento, ela desejara um futuro melhor para seus filhos.
Esse vem nós mostrar a realidade de muitas famílias, e de como uma mão amiga pode fazer com que um sofrimento vivenciado durante muito tempo pode não ser esquecido mais ao menos amenizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário